a

Facebook

Twitter

Copyright 2017 DFLAW Advocacia Tributária Empresarial.
Todos os direitos reservados.

8:00 - 18:00

de Segunda à Sexta.

(11) 3504.0414

Fale conosco

Facebook

Twitter

Menu
 

DFLAW Alerta: CNJ Regulamentou Intimações Via WhatsApp

DFLAW Advocacia Tributária e Empresarial > Direito Tributário  > Diversos  > DFLAW Alerta: CNJ Regulamentou Intimações Via WhatsApp

DFLAW Alerta: CNJ Regulamentou Intimações Via WhatsApp

DFLAW Advocacia Tributária e Empresarial LOGO_CORRIGIDO DFLAW Alerta: CNJ Regulamentou Intimações Via WhatsApp Diversos    %Site Name - advocacia tributária.

DFLAW Alerta: CNJ Regulamentou Intimações Via WhatsApp

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) aprovou a utilização do aplicativo WhatsApp como ferramenta para intimações em todo o Judiciário.

A decisão do CNJ é muito bem vinda e atende as normas legais vigentes, a saber:

  1. Compete ao Conselho Nacional de Justiça e, supletivamente, aos tribunais, regulamentar a prática e a comunicação oficial de atos processuais por meio eletrônico e velar pela compatibilidade dos sistemas, disciplinando a incorporação progressiva de novos avanços tecnológicos e editando, para esse fim, os atos que forem necessários, respeitadas as normas fundamentais deste Código (CPC, art. 196);
  2. A Resolução 234/2016 do CNJ, que regulamenta o art. 196 do CPC;
  3. Nos Juizados Especiais Cíveis e Criminais as intimações podem ser realizadas por qualquer meio idôneo de comunicação (Lei 9099/95, art. 19);
  4. Os atos e os termos processuais independem de forma determinada, salvo quando a lei expressamente a exigir, considerando-se válidos os que, realizados de outro modo, lhe preencham a finalidade essencial (CPC, art. 188);
  5. Versando o processo sobre direitos que admitam autocomposição, é lícito às partes plenamente capazes estipular mudanças no procedimento para ajustá-lo às especificidades da causa e convencionar sobre os seus ônus, poderes, faculdades e deveres processuais, antes ou durante o processo (CPC, art. 190);
  6. O juiz e as partes, de comum acordo, podem fixar calendário para a prática dos atos processuais (CPC, art. 191);

Assim, definido o critério de consensualidade no uso do aplicativo para fins de intimação processual, o Conselho Nacional de Justiça restabeleceu a necessária e indispensável segurança jurídica na incorporação de recursos tecnológicos pelo Poder Judiciário.

Cabe ressaltar finalmente que essa forma de intimação não substitui a intimação oficial, via Diário de Justiça Eletrônico Nacional (DJe), que, por força da Resolução 234/2016, é o meio de publicação de intimações destinadas aos advogados nos sistemas de processo judicial eletrônico.

O DFLAW entende que o CNJ deve cumprir os ditames de sua própria Resolução (art. 5º)  e finalmente deliberar acerca da criação do Diário de Justiça Eletrônico Nacional, substituto dos atuais diários de justiça eletrônicos mantidos pelos órgãos do Poder Judiciário, disponível no site do CNJ.

No Comments

Leave a Comment

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Pular para a barra de ferramentas